Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cumplice Do Tempo

ser cúmplice é ser parte de algo

Cumplice Do Tempo

ser cúmplice é ser parte de algo

E se não houvesse palavras

 

E se não houvesse palavras e só me restasse o olhar, seria com ele então que pelas linhas do teu ser redigiria tudo aquilo que na ausência delas, palavras, ficasse por dizer, e nesse deambular incessante dos meus olhos em ti, o teu rosto comtemplaria.

Nunca descuidando cada recanto seu, cada perfeita imperfeição, para que em todo o seu esplendor as palavras se pudessem refletir neste meu olhar ávido por em ti se expressar.

E se não houvesse palavras e só me restasse o poder te tocar, seria com subtileza então que pelo teu corpo revelaria esta minha insaciável vontade, de nos sentidos e com eles te segredar cada afeto, veredictos confessos nesse apartar de palavras, agora suave e sensitiva forma de em ti vaguear.

E se não houvesse palavras, e nem sequer o toque ou o olhar me restasse, tentaria então os teus lábios beijar, e ele beijo seria sentença deste meu amor que sem palavras ousei declarar, selar de este e de todo o meu sentir.

E se não houvesse beijo, nem toque ou sequer olhar e depois de tudo, até mim as palavras voltassem, seria com elas então que estas linhas eu escreveria, para que nas ausências, jamais ficasse algo por dizer e tu para sempre as pudesses recordar.

 

 

5 comentários

Comentar post